Roma

Roma ★★★★½

“me gusta estar muerta”

É com toda a tranquilidade do mundo que digo que Alfonso Cuarón é um dos melhores cineastas vivos! 

Desde seu primeiro longa em 1991, ele apenas vem provando que consegue contar qualquer história de qualquer gênero com perfeição. Ele sempre se reinventa, mas nunca deixa de ser ele. 

Tudo em Roma é impecável, desde o movimento de câmera extremamente sútil as performances tocantes. Vejo esse filme como algo extremamente íntimo já que dessa vez Alfonso não teve seu irmão ou seu filho a ajudá-lo com roteiro, e nem mesmo Chivo com quem ele havia trabalhado em todos os seus filmes anteriores a fazer a cinematografia. Este é um filme totalmente protagonizado por Alfonso no qual ele dedicou-se por completo e nos entregou algo magnífico. 

E ainda que com uma história completamente diferente das de seus filmes anteriores, ele conseguiu colocar um pouco de cada um deles em Roma (o filme no espaço remetendo a Gravity, a gravidez de uma mulher solteira como em Children of men) e tornando-o uma história íntima, tocante, capaz de nos emocionar com os mais singelos shoots. 

Mas de todos os filmes de Alfonso o que mais se assemelha a Roma é Y Tu Mama Tambien. Não apenas na questão em que ambos se passam no México, mas sim o fato de que enquanto Y Tu Mama Tambien Alfonso nos mostra que existe um mundo inteiro ao nosso redor que não percebemos porque estamos ocupados demais presos em nosso próprio mundo, em Roma ele mostra um pouco de dois destes mundos e alguns dos problemas enfrentados neles. 

Não tenho dúvidas de dizer que é o melhor filme do ano!


2018 RANK

Brendha liked this review