RSS feed for Chico

Favorite films

Recent activity

All

Recent reviews

More
  • mother!

    mother!

    Nunca pensei que Darren Aronofsky pudesse se superar, mas ele deixou "Fonte da Vida" para trás. "Mãe!" é o filme mais pretensioso que surgiu nos últimos anos. Talvez até no Século XXI. Sério. Com uma ideia na cabeça, o diretor, para dar conta dela, empresta toneladas de peso a cada frame do filme, começando pela uso opressivo e obsessivo do plano-sequência quase num carrossel de exploitation (que deixa "Birdman" no chinelo) e ecoa os variados níveis de imagens de efeito…

  • Columbus

    Columbus

    ★★★½

    Ambição costuma ser uma faca de dois gumes para um artista. Ao mesmo tempo em que pretender algo mais deveria ser um objetivo para qualquer um que se arrisca como criador, nem sempre se consegue dar conta de suas apostas na maneira como se usa suas referências. Depois de tantos anos de cinema, ser ambicioso e bem-sucedido nessas ambições fica mais complicado para os diretores estreantes. Felizmente, esse não é caso do primeiro filme de Kogonada como cineasta. Estudioso da…

Popular reviews

More
  • Aquarius

    Aquarius

    ★★★★½

    Numa cena rápida de Aquarius, Clara, a personagem de Sonia Braga, depois de visitar o túmulo do marido no cemitério, observa dois coveiros retirando os restos mortais de uma cova para desocupá-la. A imagem, que apenas exemplifica uma lógica comum aos empreendimentos funerários, dura cerca de um minuto, talvez menos, mas resume boa parte do drama da própria Clara e da essência do filme de Kleber Mendonça Filho: o que está em discussão é a troca do velho pelo novo.…

  • The Breakfast Club

    The Breakfast Club

    ★★★★★

    John Hughes foi o cineasta que melhor traduziu o jovem norte-americano nos anos 80, a década perdida, a década pasteurizada. Foi ele quem deu voz aos nerds, deu texturas às patricinhas, pôs sentimentos nos atletas, explicou comportamentos agressivos e discutiu quem vive à margem dos colegas. Em "Clube dos Cinco", seu maior e melhor filme, Hughes fez o que nenhum outro cineasta de sua época ousou fazer: fez de cinco estereótipos, cinco protagonistas. Enclausurou-os num filme em que mal contracenam…