RSS feed for Cristiano Contreiras

Favorite films

Recent activity

All

Recent reviews

More
  • Luce

    Luce

    ★★★★

    O jogo de aparência. Um filme que explora os meandros de uma humanidade sob pressões internas. Acho interessante como a direção de Julius Onah prioriza a interação de um drama voltado às dores, mais intimistas, feito de aparências e diálogos certeiros. O jovem que intitula o filme, o negro adotado por uma família rica com símbolos do white people problems americano (Naomi Watts e Tim Roth, excepcionais como há tempos não via), um exemplar de conduta até na escola -…

  • Ford v Ferrari

    Ford v Ferrari

    ★★★★

    Esperança automobilista. Mais que um exemplar de ação, vejo neste filme um conto de obstinação. James Mangold opta por fixar o drama em torno da relação entre o piloto mecânico Ken Miles (Christian Bale) e o engenheiro Carroll Shelby (Matt Damon) e a interação diante do circuito “24 horas de Le Mans”. O olhar que poderia render a fácil caricatura, preserva um viés até sensível diante da personalidade de Miles. Reside em Bale o grande triunfo: seu olhar firme, a…

Popular reviews

More
  • Roma

    Roma

    ★★★★★

    “Acho que eu gosto de estar morta”. A fala da protagonista, uma moldura para a sua subordinação, que preserva o elo afetivo na convivência dentro da redoma que se submete. Cuarón abre o filme com o simbólico plano estático: um chão sujo, seco, mas que logo é invadido pela água ensaboada que reflete uma janela. É como nosso olhar diante do reflexo. 

    O olhar de Cleo é o da observação, a adorada serviçal e companheira que tem o afago dos…

  • Marriage Story

    Marriage Story

    ★★★★

    Quando Woody Allen encontra Ingmar Bergman pra falar das rupturas e ironias de um amor contaminado por fragilidades. Logo no prólogo, quando vemos as duas rápidas perspectivas do olhar do marido para a esposa e vice-versa, entendemos que a narrativa evoca uma ótica realista e que não pretende julgar cada um. A sobriedade de Noah Baumbach consegue ser profunda em exibir dores tão violentas e questionamentos contundentes, sem cair num melodrama. Desde já, a atuação mais intensa de Scarlett Johansson.