Favorite films

  • Vertigo
  • Rear Window
  • Eyes Wide Shut
  • It's a Wonderful Life

Recent activity

All
  • Shadow of a Doubt

    ★★★★★

  • Fort Apache

    ★★★★★

  • Meet John Doe

    ★★★★

  • It's a Wonderful Life

    ★★★★★

Recent reviews

More
  • Laveuses sur la rivière

    Laveuses sur la rivière

    ★★★★★

    É interessante como apenas um plano seria capaz de preceder o que chamaríamos de cinema político, o que mostra o esmero dos irmãos Lumière em compor esta cena (posicionando mulheres trabalhando na parte inferior do quadro e homens em um momento de lazer na parte superior). Além disso, a composição evoca um certo caráter contemplativo para a obra e faz com que nos sentimos como se estivéssemos olhando para um quadro em um museu, exceto que essa nova arte em desenvolvimento permitia que as imagens se movessem.

  • Flying Padre

    Flying Padre

    ★★

    O mais interessante em Flying Padre (1951) é ver como um mestre como o Kubrick ainda não havia desenvolvido toda sua afinidade com a arte pela qual é lembrado. Ao narrar diferentes eventos e destacar o padre como uma figura heróica, o filme parece mais uma série de momentos completamente vazios.
    Apesar de mostrar resquícios de seu apuro estético, que caracterizaria a sua carreira dali em diante, o curta-metragem me parece vazio e medíocre (Assim como o próprio Kubrick admitiria,…

Popular reviews

More
  • Vertigo

    Vertigo

    This review may contain spoilers. I can handle the truth.

    Desprezado em seu lançamento e aclamado a longo prazo, Vertigo (1958) é, na minha opinião, uma das obras mais marcantes de Alfred Hitchcock, se não a mais marcante de sua filmografia. Ao nos contar uma história de amor, manipulação e obsessão neste longa de mistério, Hitchcock constrói uma experiência cinematográfica inesquecível.

    Na trama, acompanhamos o ex-detetive John ''Scottie'' Fergunson ( James Stewart), aposentado após um trauma que lhe causou acrofobia, um terrível medo de altura. Certo dia, um antigo amigo…

  • Her

    Her

    Em um futuro próximo, acompanhamos a vida de Theodore (Joaquin Phoenix), um escritor solitário e melancólico, que após seu divórcio, acaba se apaixonando por uma inteligência artificial, Samantha, com a voz de Scarlett Johansson.
    Algo que me chamou atenção no filme foi o quanto os personagens parecem reais, tanto no roteiro quanto nas atuações, até mesmo o computador parece uma pessoa de verdade. Toda essa atmosfera provável do filme, mesmo se tratando de um tipo de sci-fi, é muito interessante.…