The Plagues of Breslau ★★★

Eu acho que preciso estudar um pouco mais do cinema polonês antes de dar uma nota final para esse filme, porque não consigo, no momento, dizer com certeza se ele é ruim ou só diferente dos padrões que preenchem nossa vida normalmente. O fato é que Morte às Seis da Tarde não conduz as coisas da maneira esperada.

A câmera é posicionada em uns ângulos estranhos que aparentemente não possuem significados específicos, os policiais agem de um jeito que beira o amadorismo (da legista de jaqueta jeans numa cena do crime até o oficial que tira selfies sem justificativa), vários acontecimentos importantes rolam sem construção de tensão ou antecipação (de repente alguém está tentando parar um cavalo, e do nada está em coma com a cabeça esmagada) e diversas atuações são extremamente forçadas (o bombeiro explicando o incêndio não me desceu até agora).

A parada é que eu não sei o quanto disso faz parte de uma linguagem regional (como alguns detalhes turcos em Milagre da Cela 7 ou os números musicais em longas indianos) que só parece deslocada e incomoda por não estarmos acostumados. Claro que alguns desses fatores incomodam mais do que outros dentro da experiência, mas por hora, eu preferi me ater a elementos que podem ser interpretados mundialmente.

Nesse caso, o longa ganha pontos por sua premissa interessante (parece um pouco com Seven), pela construção visual dos assassinatos e por uma reviravolta final que me pegou desprevenido. Ao mesmo tempo, vários personagens são muito mal desenvolvidos, a câmera dedica muito tempo a elementos que não tem importância real para a trama (o promotor e seus tiques, por exemplo) e o texto se estende mais do que o necessário numa sala de UTI que, mesmo ajudando a dar camadas para assassina, soa como peça extra dentro do todo.

Isso resulta em uma produção mediana que mistura coisas boas, erros bobos e alguns detalhes que me incomodaram mais por serem diferentes do que por serem errados. Eu dei risada em momentos cujo objetivo não era esse e fiquei pensando negativamente sobre os aspectos regionais da produção, porém ignorei o que poderia ser apenas uma escolha estilística típica do país de origem. E é dentro disso que, apesar de ver problemas no longa, o indico como uma opção para conhecer o audiovisual de outros lugares.