Uncut Gems ★★★★★

O primeiro filme do ano que eu precisei adiar a escrita pra digerir o que tinha visto.

Uma jornada de erros acelerada e avassaladora que simplesmente não para. A partir do momento em que engata a marcha certa, Uncut Gems prende o espectador da maneira mais angustiante, desesperadora e alucinante possível, criando uma crescente enquanto o personagem principal se aproxima do fundo do poço.

A direção dos Irmãos Safdie amadurece e alcança seu auge sem perder um pingo das características vistas anteriormente, o roteiro encaixa em termos de organização narrativa e a atuação de Adam Sandler surge como uma das melhores do ano. Principalmente por ser uma escolha que injeta carisma no longa, engrandecendo-o e ajudando na missão de manter o espectador atento.

E olha que no começo eu desconfiei dele, porque parecia o mesmo bobão de sempre. Mas, conforme o tempo passa, ele some no papel e carrega o público pra dentro da história com ele. Ele é o responsável por nos fazer torcer por seu personagem e sentir a tensão do jogo de basquete final na pele, mesmo sabendo que a trama não pode ter um final feliz.

Isso gera um misto de emoções que alcança seu pico de suspense e impacto na hora exata, transformando esse em um dos melhores do ano disparado.