New York Stories ★★★½

O primeiro conto intitulado como “Lições de Vida” (Martin Scorsese) trata da forma como a vida profissional se mistura na relação amorosa entre o pintor Lionel Dobie (Nick Nolte) e sua assistente Paulette (Rosanna Arquette). A relação de hierárquica de chefe e funcionaria, se mistura a relação amorosa, que se transforma em uma relação de posse. As humilhações sofridas por Lionel se transformam em combustível para que suas obras ganhem vida e nesse processo criativo vemos o ritmo frenético e quase caótico da vida em Nova York. O conto trata da forma caótica e dinâmica da vida de uma grande cidade.
No segundo conto “A Vida Sem Zoe” (Francis Ford Coppola) é uma sátira sobre as relações familiares em uma cidade global. Zoe (Heather McComb) é uma garota de 12 anos que vive praticamente sozinha em um hotel luxuoso, enquanto seus pais vivem constantemente viajando a trabalho. A garota frequenta uma escola de crianças ricas, que também se sentem sozinhas devidos a ausência paternal. Coppola brinca ao transformar essas crianças em pequenos adultos, tanto no modo de falar como de se vestir. Com isso apesar da estética alegre e divertida do conto, vejo uma critica as relações familiares que se perdem em uma cidade cosmopolita, tema muito abordado nas obras da Sofia Coppola.
Por fim temos o conto “Édipo Arrasado” (Woody Allen) que conta a historia do advogado Sheldon Mills (Woody Allen) que teme apresentar a sua noiva Lisa (Mia Farrow) a sua mãe judia e protetora (Mae Questel). A historia é uma comedia ao estilo de Woody Allen, que conta os traumas do filho que mesmo aos 50 anos, não consegue se desvencilhar da sua mãe que ainda controla sua vida. O conto traz a reflexão do quanto as bases familiares influenciam nas nossas escolhas como adultos.
O filme mostra na visão desses grandes diretores, que frequentemente em suas obras abordam a cidade de Nova York, quais as visões sobre o modo de vida do nova-iorquino e a beleza desta grande cidade.