Favorite films

  • Broken Blossoms
  • The River
  • Out 1
  • Opera

Recent activity

All
  • The Parson's Widow

    ★★★★

  • Woman of the Ganges

    ★★★★★

  • Pro-Life

    ★½

  • Tiger Shark

    ★★★★½

Recent reviews

More
  • Woman of the Ganges

    Woman of the Ganges

    ★★★★★

    La Femme du Gange, que se estrenó recientemente en el First Avenue Screening Room es, como todo lo que ha hecho Duras, una obra enormemente compuesta: pero a diferencia de otras, está compuesta curiosa y fascinantemente. Un hombre vuelve a una ciudad costera en invierno, se encuentra con un grupo de vagabundos -«alienados», según el antiguo concepto de la psiquiatría- y se relaciona con ellos en la playa, en el vestíbulo y en los pasillos de un gran hotel vacío,…

  • Tiger Shark

    Tiger Shark

    ★★★★½

    A forma como Hawks e Robinson compõe esse personagem; um pescador que age e pensa como um pescador, que só consegue viver como um pescador (em contraste ao seu amigo Pipes que é o típico galã), com uma sensibilidade e uma ternura, inclusive nos momentos mais grotescos; é nada menos que sublime.


    (...) Que a ação, de um filme para outro, raramente seja da mesma natureza, confere a obra inteira esse aspecto de vasto documentário sobre o mundo moderno onde…

Popular reviews

More
  • Sicily!

    Sicily!

    ★★★★★

    O que eles fizeram do romance de Elio Vittorini? Eles escolheram os seus fragmentos, os respeitaram, trabalharam neles, lhes entregaram ao ar livre e às vozes dos seres vivos. Voltaremos a isso. Será talvez Louis Seguin, que escrevia no seu importante livro: “[Jean-Marie Straub e Danièle Huillet] não estabelecem uma segunda narrativa que garantiria a verossimilhança, a vida da ficção original. O cinema não cura a infelicidade do romance mas, pelo contrário, a secciona e deixa a ferida aberta. Ele…

  • La Collectionneuse

    La Collectionneuse

    Cahiers – Seu cinema seria, então, ao mesmo tempo introspectivo e objetivo: você mostra alguém que se coloca questões que habitam o seu interior…

    Éric Rohmer – Eis o porquê. O que me irrita, o que não gosto no cinema moderno, é o fato de se reduzir as personagens ao seu comportamento, e de pensar que o cinema é apenas uma arte do comportamento. Na verdade, devemos mostrar o que está além do comportamento, ainda que sabendo que só se…