• Top Gun: Maverick

    Top Gun: Maverick

    Parece ter sido todo armado na malandragem em cima da sequência final de ataque à Estrela da Morte em Star Wars IV. E tem a lógica de um pistoleiro profissional, que trabalha sem vergonha ou remorso, só com o endereço da vítima e foto recente. Não sabemos quem devem atacar, qual o país ou onde exatamente, para não perder popularidade em lugar nenhum do mundo e assim diminuir as rendas. Um feito e tanto. Postei no Instagram que quando a…

  • The Lord of the Rings: The Fellowship of the Ring

    The Lord of the Rings: The Fellowship of the Ring

    Eu não viajo no visual, em gnomos, elfos e dragões, nem nos temas de vibe anglo-purê folclore (li The Hobbit na escola adolescente e não gostei). De toda forma, isso tudo foi feito com um amor inegável (e grana), Peter Jackson claramente adora esse troço. E a excitação dele chega no espectador. Revi com crianças, foi massa. PS: ucranianos na guerra chamam os russos de “orcs”. A nova revisão de imagem com Dolby Vision é muito boa, mas o aspecto “filme 35mm” ausente, parece um ultra limpo digital poderoso. O novo Dolby Atmos é power. ITunes (4,90R$)

  • Sisters

    Sisters

    Visse Malia como esse suco de Polanski/Hitchcock/Browning/DePalma/Herrmann é escandalosa e alegremente dodói. Obrigado. Revisto no Criterion Channel/HD.

  • Running on Empty

    Running on Empty

    Joia preciosa escondida nas gavetas do Cinema Americano de 1988. Me chama a atenção como John Hughes marcou os anos 80s com filmes sobre ser jovem, mas Running on Empty é lindo em muitas camadas, inclusive sobre ser jovem e crescer. E que a cara disso seja River Phoenix, que morreu tão jovem, é literalmente de chorar. Lumet tão bom, elenco iluminado, roteiro clássico USA mas com ideias políticas ousadas, um grande filme. CRITERION CHANNEL/HD/Mono.

  • Swept Away

    Swept Away

    Eu só acho lamentável que jamais um filme desse seria feito hoje como reflexão, ou provocação. Uau. Uma fábula teatral cinematográfica sobre o mundo e sobre as pessoas. Cena chave: “Sodomiza-me!”, uma troca e tanto de papéis de poder na mesma era de “O Último Tango em Paris”, e num filme escrito e dirigido por uma mulher. Eu adoro Mariangela Melato e Giancarlo Giannini. Eu adoro Lina Wertmuller. MUBI/HD.

  • Mariupolis

    Mariupolis

    Uma observação e uma crônica documentada rodada em Mariupol, Ucrânia, no ano de 2015/2016. Para quem acompanha a destruição da Ucrânia na Guerra de Vlad Putin, as imagens da cidade sendo demolida nos últimos dois meses (estima-se que mais de 20 mil habitantes mortos, covas ilegais da matança em massa ainda sendo descobertas), o filme visto nesse momento se transforma num inventário de uma comunidade antes da sua morte. Mantas Kvedaravicius, realizador, acompanha um pai pescando com a filha, artesãos…

  • Cruising

    Cruising

    42 anos depois e Hollywood não fez nem faz nada igual a Cruising, de William Friedkin, em teor e no tom. Meio incrível ser produto de estúdio, só prova que diretores muito bem sucedidos em Hollywood têm crédito para fazer qualquer três outras coisas (antes de Cruising, o super bom Sorcerer, depois de Cruising o Deal of the Century, que eu gostaria de rever mas que nunca gostei) até que a fonte seque com “fracassos”, entre aspas pois a palavra…

  • Follow the Protocol

    Follow the Protocol

    Tem uma maneira de o letterboxd não chamar um filme brasileiro pernambucano pelo título em inglês ? Seguindo Todos os Protocolos, de Fábio Leal, é um filme de apartamento, eu fiz esse tipo de filme no casulo algumas vezes. Pessoas logo acham que é uma decisão apenas financeira, pelo menos até o filme mostrar o que ele é como exposição de ideias. Creio que o filme casulo faz parte de uma compreensão geral, a de que em primeiro lugar você…

  • The Batman

    The Batman

    Vingança vingança armas vingança e terror psicopata. Tudo muito bem executado (gosto de Cloverfield do Reeves) mas Seven (1995) presente demais, creio. Tudo meio escuro, todo mundo tem uma lanterna. A cena de proximidade física entre a mulher e o cara é coreografada para ser sexy com sugestão de violência, mas sem tesão, carinho ou graça. Acho que os produtores evitaram a multa. O que será dessa geração, nossa… Seria bom Batman e Mulher Gato se pegarem legal e com…

  • Wheel of Fortune and Fantasy

    Wheel of Fortune and Fantasy

    As pessoas circulam em carros, ônibus e a pé. É feito ver a circulação do sangue no corpo, levando oxigênio e trazendo sangue venoso, toda vez que isso acontece os personagens falam e existem em níveis profundos de informação, palavras e experiência vivida. Filme bonito. Eu só lembrava de “Outras Palavras” de Caetano Veloso.  Jean Eustache/Pessac-DCP.

  • CODA

    CODA

    Ac Screening Room, HD/5.1.

  • The Godfather

    The Godfather

    Primeiro, parece um festival de grandes curtas metragens, um filme bom depois do outro, “O Casamento”, “A Proposta”, “O Hospital”, “A Siciliana”. Todos filmes belos e verdadeiros, como numa antologia de contos que vão surtindo um efeito cumulativo dramático até que percebe-se que estão todos presos uns nos outros e que a história toda dos Corleone forma uma árvore grande e frondosa onde o tronco termina sendo Michael, que parecia ser só um galho frágil. A primeira vez que eu vi esse filme eu tinha 15 anos, foi na TV. Apple iTunes/Dolby Vision 4K (imagem bela de filme).