Luce ★★★★½

achei filmaço. não passa a mão na cabeça do espectador e não segue cartilha pra satisfazer militância de uma nota só (e aqui fica claro o motivo de algumas críticas negativos). é um filme sombrio e obscuro pra cacete. a construção da tensão é cirúrgica e o jogo de cena entre Watts, Spencer, Roth e Harrison é o pilar pro filme funcionar. 

falando neles, é foda como Onah confia tanto em seus atores quanto no público pra decifrar aspectos da narrativa através das performances. quem mente e quem fala a verdade cabe a quem assiste decidir.

também cabe a quem assiste (e quem se identifica como progressista principalmente) encarar as nuvens negras de pessoas que inicialmente e prontamente despertariam nossa empatia. é um filme bem subversivo nesse aspecto e os confrontos entre os atores (sendo calcados de um texto fenomenal) torna tudo mais difícil.