Misunderstood ★★★★½

Belo melodrama familiar, no qual tudo que está ruim - como é base nos grandes melodramas - sempre pode piorar. Impressiona como o virtuosismo de Comencini (toda sequência parece existir muito como uma espécie de experiência estética nova, passando não só pelos zooms italianos característicos da época como por pessoas vistas através de janelas, refletidas em quadros etc. etc. etc.) vai aos poucos se misturando à lógica íntima da narrativa e nos jogando naquele universo. Nesse sentido, tanto o choro contido do pai em um dos primeiros planos quanto o plano final, junção de virtuosismo e intimidade familiar, são bem exemplares. Enfim, primeiro filme visto do cineasta. Que venham mais.