Avengers: Infinity War ★★★★★

It was exactly 10 years ago that Marvel slowly started something that could easily fail or become the greatest achievement of the studio. But destiny, and everyone involved in Iron Man’s production, choose the later and after a decade we’re watching something we couldn’t even think of when we first saw Tony Stark wearing his robotic suit.

And after 18 movies that shaped what we now know as Marvel Cinematic Universe, we get to watch the 19th entry in this universe, a climatic celebration that make our head spin just by thinking about what could possibly happen. It’s 10 years of stories, with more than 20 characters that we develop a relationship with, gathered in a single team to face Thanos, a villain that haunts almost every character from the very beginning.

There aren’t many sagas that achieved such status. I even dare to say there isn’t a single one at all. Usually they present us everything they have and develop upon that, there’s no ramifications or external dangers that could affect the entirety of the story. This is where Marvel got the lead and therefore completely overtake the whole box office, as well as annoy some filmmakers and movie buffs alike. There were some hiccups along the way, which happens in every production that are still finding themselves and trying to figure out which path they should take. In this particular case, they have to find their own individuality but still be able to present themselves as a whole. But after all these years and movies, Marvel is a well oiled machine. Like it or not, we have to applaud what the studio was able to do, that any other one didn’t even tried to.

And truth be told, what is there not to like? The comic book fans have their preferences, and there’s so much chose from it would be impossible to please everyone. So, accusing Marvel of not strictly sticking to their source material, it’s completely nonsense. Many accuse Marvel to follow a formula as well and not trying to do anything new, which is not true as well. We have Thor as an example, where they needed to shake things up in the third movie so this superhero could be more than average. Besides that, to lower an action movie for being an action movie, it’s absurd. That’s not being formulaic, is to follow a genre and a narrative structure that all movies have. And what makes me ignore even more these critics and opinions and not giving them any value whatsoever is the results Marvel achieve in every movie: great reviews and gather even more audience and, consequently, more profit.

Still, did Infinity War managed to deliver what it set out to do? Yes and no.

Yes, probably because this is one of the best movies Marvel make, maybe their best. It’s almost three hours without a dull moment and every single one of them had a purpose for the overall narrative of this epic adventure. Every character has their purpose and almost everyone have their screen time, the action is intense and there’s danger around every corner.

However, it may have not done it too well since there’s space to Marvel be a coward, to step back in what they’ve done. Still, this is not a problem in Infinity War itself, but a problem that may come in Avengers’ fourth chapter. It’s all a question regarding future decisions, which have no impact in what they’ve done so far.

And that’s all that matter, a good chapter that starts and, in a way, ends a plot line that will be continued but doesn’t mislead the viewer in what they’re getting from a movie, since it doesn’t feel like they cut something from it just so they could have a sequel. And having an impact in 10 years of previous cinematic adventures it’s something that few will experience and it will hardly happen again in this shape or form. I believe the next 10 years will have another twist, but this one no one will take it away from me.

=== PORTUGUESE =========

Já lá vão exactamente 10 anos desde que a Marvel dava início, ainda a medo, a algo que podia ter falhado redondamente como se tornado no maior sucesso de sempre. Quis o destino, e todos os envolvidos na produção do primeiro Iron Man, que a última opção singrasse e depois de uma década estamos a assistir a algo que ainda nem sequer sonhávamos ser possível quando Tony Stark vestiu pela primeira vez o seu fato robótico.

E depois de serem vistos 18 filmes que se inserem naquilo a que conhecemos como o Universo Cinematográfico Marvel, chegamos à celebração climática no décimo nono filme de algo que só de imaginar nos deixa com a cabeça à volta. São 10 anos de histórias, com mais de 20 personagens que já criamos uma relação estreita durante esse tempo, e que agora se juntam todos para fazer frente a Thanos, um vilão que desde o início tem assombrado a vida de praticamente todos estes personagens.

Não existem muitas sagas que tenham conseguido chegar a tal feito. Aliás, arrisco dizer que não existe literalmente nenhuma que o tenha feito. Regra geral, está tudo apresentado desde o primeiro instante e só assistimos a uma evolução fechada daquela história, não há ramificações nem perigos externos que possam afectar o curso de toda uma história. É aqui que a Marvel tem vindo a ganhar e, consequentemente, consumido por completo o box office assim como criar alguma comichão noutros cineastas e cinéfilos. Houve alguns percalços no caminho, tal como existe em todas as produções que ainda se estão a descobrir e a perceber que caminho seguir. Neste caso, há a particularidade de ser mais do que uma saga, têm de encontrar a sua própria individualidade mas ainda assim representar eficazmente um todo. Mas todos estes anos e filmes depois, a Marvel é uma máquina bem oleada. Goste-se ou não, é de aplaudir o que um estúdio conseguiu fazer que até hoje nenhum outro fez.

Mas muito honestamente, o que há para não gostar? Os fãs da banda desenhada de cada um destes heróis têm as suas preferências, e a oferta é tanta e tão variada que seria impossível agradar a todos. Portanto, acusar a Marvel de não seguir à risca o que já foi escrito em papel, é completamente descabido. Outra acusação que lhe pode ser feita é a de seguir uma fórmula e não fazer nada de novo, mas também não seria verdade. Temos o exemplo de Thor, em que no terceiro filme teve de se reformular para conseguir sair do mediano. E além disso, rebaixar um filme de acção por ser um filme de acção, é no mínimo rídiculo. Isso não é ser formulaico, é ter um género e seguir uma estrutura narrativa que todos os filmes seguem. Mas aquilo que me faz olhar cada vez mais para estas críticas e não lhes dar valor algum é o resultado que a Marvel consegue em cada filme: boas críticas e um aumento constante do público e, consequentemente, do lucro.

Ainda assim, será que Infinity War cumpriu com aquilo que se prometeu a fazer? Sim e não.

Sim, porque este é provavelmente um dos melhores filmes que a Marvel já produziu, talvez até o melhor. São quase três horas sem nunca haver um momento morto ou que não interesse para a narrativa global desta aventura épica. Todos os personagens têm um propósito, todos (ou quase todos) têm tempo de antena, a acção é intensa e sente-se o perigo ao virar de cada esquina.

Porém, pode não conseguir fazer aquilo a que se propôs porque há aqui espaço para cobardia por parte da Marvel, para darem um passo atrás nas suas decisões. Ainda assim, este não é um problema de Infinity War, é apenas um problema que pode vir a existir no quarto capítulo dos Avengers. É tudo uma questão de decisões futuras, mas que não mancha a integridade deste capítulo.

E é isso que no final interessa, um bom capítulo que começa e, em certa medida, encerra uma linha narrativa que terá continuação mas que deixa o espectador satisfeito sem se sentir defraudado por parecer que cortaram algo para aproveitarem numa futura sequela. E conseguirem ter um efeito no espectador que lhe altera 10 anos de aventuras cinematográficas é uma sensação que poucos vão conseguir experienciar e que muito dificilmente vai voltar a acontecer desta forma. Acredito que os próximos 10 tenham outra reviravolta qualquer, mas esta já ninguém me tira.

Marco liked these reviews