Jumanji: Welcome to the Jungle ★★★

The last thing on everyone’s mind was that the Jumanji sequel could be anything more than mediocre. To make things worse, using a movie that brings so much joy and good memories to everyone just for the sake of making some bucks for another big studio, didn’t seem the right move, at least for the audience!

However, destiny had other plans and surprised everyone with a movie that’s not only decent, it manages to be good. We obviously know which are its limitations and its purpose. It’s supposed to be a fun time for the viewer. However, that doesn’t mean it has to be a bad movie. And Jumanji: Welcome to the Jungle it’s a great example of exactly that, on how to take a well known movie, giving it a twist without misrepresent what its core is.

It doesn’t ignore its own universe as well nor its rules. If in the original the game was brought to our world, this time around, and in response to the needs and desires of a younger audience (of the game itself, not the movie), Jumanji adapts to the modern era, makes itself more appealing, but it suffers with the limitations of that same adjustment. While bringing the jungle to our world allowed the unlimited interaction we usually have in real life, in the new Jumanji, which adapts to a videogame format, those same interactions are limited and pre-defined to what someone expects from the player.

This may seem obvious, and it is, but how many times we’ve seen this being ignored when creating characters that didn’t respect their origins (a character in a videogame) and turned out to be just way too human, without any limitation as a result of the coding and their creators?

But besides all this, the four actors chosen to give life to the characters in-game and merged with their real life players, couldn’t have been better. They work pretty well in a group and everyone has their moment to shine. But I need to obviously applaud Jack Black for perfectly play a 16 year old. Karen Gillan did an amazing job as well and continue to show she’s more than capable of standing out in a movie overwhelmed with male figures.

Jumanji: Welcome to the Jungle it’s a movie that knows what it is, with its highs and lows, but embrace them and has proud in what it’s showing us, resulting in a fun well made movie, which is more than many manage to achieve.

=== PORTUGUESE =========

A última coisa que eu pensei, e que todos pensaram, é que a sequela de Jumanji pudesse ser alguma coisa minimamente decente. Ainda por cima, pegar num filme que tantas e boas memórias traz só para fazer mais uns trocos é uma jogada que não se tem mostrado muito interessante nos últimos tempos, pelo menos para o público!

Mas quis o destino pregar-nos uma partida e surpreender tudo e todos com um filme que não só é mais do que decente, como consegue ser bom. Obviamente que sabemos quais as suas limitações e qual o propósito do mesmo existir. É divertir o espectador sem que ele tenha de se esforçar muito a pensar no que está a ver. Mas isso não implica que o mesmo tenha de ser mau. E Jumanji: Welcome to the Jungle é um exemplo disso mesmo, como pode pegar num molde já conhecido de um outro filme, dar-lhe um twist mas sem desvirtuar aquilo que é a sua essência.

Ao mesmo tempo, também não ignora o universo onde se passa nem as regras que o definem. Se no original era o jogo que vinha para o nosso mundo, desta vez, e em resposta ao crescente desinteresse dos mais jovens por jogos de tabuleiro, o Jumanji adapta-se aos tempos modernos e torna-se novamente apetecível, mas também sofre com as limitações que isso implica. Enquanto que trazer a selva para a cidade permitia a interação ilimitada que o nosso mundo permite, no novo Jumanji e no novo formato que ele adapta, de videojogo, as interacções que ocorrem por parte do mundo do jogo são limitadas e definidas tendo em conta aquilo que se espera do jogador.

Isto pode parecer lógico e óbvio, e é, mas quantas vezes já vimos isto ser ignorado em prol de personagens que não respeitavam a sua origem (uma personagem de videojogo) para se tornarem em figuras humanas que não têm qualquer limitação por parte da programação dos seus criadores?

Mas apesar de tudo isto, o leque de actores que dão vida aos quatro personagens escolhidos pelos quatro jovens no mundo real, não poderiam ter sido melhores. Eles funcionam bastante bem em conjunto e todos têm os seus momentos para brilhar. Mas obviamente que tenho de dar o devido destaque a Jack Black por conseguir interpretar perfeitamente uma miúda de 16 anos e também a Karen Gillan por continuar a mostrar-se uma figura imponente e que sobressai no meio de filmes dominados por figuras masculinas.

No final, Jumanji: Welcome to the Jungle é um filme que sabe o que é, com os seus pontos fortes e fracos, que o admite e tem bastante orgulho naquilo que apresenta e isso resulta num filme divertido e bem conseguido, que é mais do que muitos conseguem alcançar nos dias de hoje.

Marco liked this review