Workers for the Good Lord ★★★★★

A conduta humana em sua realização benevolente (perdoar, ensinar, amar) que se integra a conduta revolucionária (roubar, lutar, matar). Se todo filme do Brisseau não deixa de ser sobre um paradoxo (especialmente o material x imaterial), esse faz da sua contradição o maior dos ensinamentos. Ao mesmo tempo que o mundo é lugar inevitável de uma dívida social, é espaço de fabulação, de salvar os homens pelo bem.