The Miseducation of Cameron Post

O cenário de "Cameron Post" remete ao excelente documentário "Jesus Camp" (2006), dirigido por Rachel Grady e Heidi Ewing, sobre um acampamento americano que doutrinava crianças sobre diversos assuntos, de aborto a aquecimento global. Cada um à sua maneira, os dois filmes mostram como líderes religiosos veem os jovens de forma estratégica – soldados que podem ser treinados para defender os princípios e interesses do grupo a longo prazo.

No caso de "Cameron Post", a opção é por um tom leve e por diálogos espirituosos que frequentemente provocam risadas da plateia. Mas o fato de os personagens nunca caírem na caricatura garante que comentários mais absurdos sempre soem reais, tirados do noticiário ou de um almoço de família, sobretudo diante da onda conservadora que atinge diferentes países do mundo, inclusive o Brasil. Ao mesmo tempo engraçado e comovente, "Cameron Post" é um filme sobre a intolerância e sobre como fazer alguém odiar a si mesmo é cometer um ato de violência.

Leia a crítica completa: mulhernocinema.com/criticas/com-leveza-e-inteligencia-o-mau-exemplo-de-cameron-post-discute-religiao-intolerancia-e-cura-gay/