You Were Never Really Here

Joe é um personagem com várias camadas – um assassino que também ajuda a mãe idosa a polir talheres. “Me disseram que você é brutal”, diz um cliente. “Eu posso ser”, responde o protagonista, num diálogo que o define muito bem. Joe não é uma coisa só: é violento e carinhoso, destemido e inseguro, está no controle e também em estado de desespero.

Muito bem escalado, Phoenix tem uma das melhores atuações da carreira ao trabalhar tantas emoções conflitantes, além de lidar muito bem com o humor negro do roteiro. Há algo de ao mesmo tempo triste, engraçado e assustador toda vez que o ator está em cena, inclusive no próprio visual do herói justiceiro acima do peso, barbudo e desgrenhado. Ele é o ponto mais forte da viagem de Lynne Ramsay, que não é perfeita nem prazerosa, mas sempre interessante.

Crítica completa: mulhernocinema.com/criticas/lynne-ramsay-aborda-trauma-e-violencia-em-voce-nunca-esteve-realmente-aqui/