Bamboozled ★★★★½

Spike Lee e sua incrível capacidade de distribuir pedradas. Ao reimaginar os espetáculos de black face no alvorecer do século XXI, na TV, com negros enegrecidos, produtores tresloucados e roteiristas emergentes imbuídos do propósito de produzir sucessos de entretenimento, o diretor arma uma metralhadora que atira para muitos lados e deixa, por vezes, o espectador no meio de um fogo cruzado insano e complexo. Curioso como o filme parte da noção de sátira, mas alcança mesmo a ideia de turbilhão em que todos os personagens são postos o tempo todo sob xeque (especialmente o protagonista com sua ideia “genial” de “neosátira”) a partir de suas posturas frente às questões raciais que a trama suscita. Parece que ninguém mais no cinema norte-americano recente poderia contar essa historia, desse jeito intricado e inconclusivo, a não ser o Spike Lee.