Mr. Death: The Rise and Fall of Fred A. Leuchter, Jr. ★★★★★

Revisionismo do Holocausto. Inversão e deturpação de valores: liberdade de expressão usada como bastião pelos propagadores de ódio; conspiracionistas que acham que todo o mundo está enganado, menos eles próprios; incitadores de violência se dizendo perseguidos, oprimidos pela ditadura / conspiração de minorias.

A cereja do bolo: a banalidade do mal. O cidadão médio, simplório, inculto, iletrado; mas um exímio “profissional” em sua área de atuação. Se o seu trabalho é matar pessoas, com legitimação estatal, então você deve executá-lo da melhor maneira possível. Simples assim.

Este documentário ensaístico de Errol Morris é um retrato sutilmente sarcástico de Fred Leuchter, “herói” dos neonazistas / conspiracionistas / revisionistas históricos. Um sujeitinho parvo que, no fim dos anos 80, passou de “engenheiro” de sistemas de punição capital (nos EUA) a ídolo dos que negam a existência do Holocausto, com uma velocidade meteórica.

Filme importantíssimo de se ver, mais uma vez e principalmente, hoje em dia. Nos EUA, Leuchter passaria fácil como eleitor de Donald Trump. No Brasil, como “manifestoche”, eleitor de Jair Bolsonaro, simpatizante do Escola Sem Partido, revisionista da ditadura militar, terraplanista, etc. Pessoas perigosas para quem fatos são conspirações, direitos são preconceitos, e preconceitos são direitos.

Leia mais sobre cinema em:
Sombras Elétricas