All Good ★★★★

O filme da estreante Eva Trobisch caminha por vias polêmicas ao fazer com que um estupro seja o catalisador de uma mudança na vida de Janne, que antes de tudo acontecer vivia amorosamente bem com o namorado Piet (Andreas Döhler, “Die Hände meiner Mutter”). Ambos passavam por algumas dificuldades financeiras provindas de uma mudança repentina e, numa festa de confraternização do trabalho, Martin (Hans Löw, “As Faces de Toni Erdmann”), cunhado do chefe de Janne, a estupra. A cena é ancorada numa crescente sensação de incômodo pois não há uma violência gráfica em tela, e sim uma troca de olhares de duas pessoas alcoolizadas e rindo de cada coisa que falam, seguida de comentários constrangedores que culminam no ato.

Texto completo: cinemacomrapadura.com.br/criticas/549808/critica-esta-tudo-certo-netflix-2018-a-dor-do-silencio/