• Papai é Pop

    Papai é Pop

    ★★★½

    O longa de Caíto Ortiz (O Roubo da Taça). baseado no livro de Marcos Piangers, tinha uma tarefa árdua: adaptar uma livro de contos e momentos para uma história linear com início, meio e fim. Felizmente deu certo, e Papai é Pop é um filme simpático, repleta de atuações acima da média, e momentos que vão do choro ao riso.

    Texto completo: aodisseia.com/papai-e-pop-critica/

  • Aliens vs Predator: Requiem

    Aliens vs Predator: Requiem

    Erra em tudo que o primeiro filme se propõe. A primeira batalha entre os alienígenas só acontece depois de mais de 1 hora de filme. A falta de foco nos humanos (que foi o grande trunfo do anterior), aqui toma boa parte do filme. Não consigo me importar com ninguém.

  • AVP: Alien vs. Predator

    AVP: Alien vs. Predator

    Esse filme é a prova definitiva de que o Predador é negão.

    Mas falando sério, Alien vs Predador foca no que mais interesse: a batalha dos dois. Os personagens são rasos, descartáveis, e o longa não oferece nada além da batalha épica entre criaturas milenares, bagunçando a mitologia conhecida de ambos. O final se estende demais, mas ainda é uma diversão massa.

  • Predator 2

    Predator 2

    Cresceu nessa revisita, mas ainda acho que o ambiente urbano poderia ser melhor utilizado (como na cena do metrô, que beira um filme de terror). Fora isso, o embate final de Danny Glover canastrão com o Predator é cinema, até a cena da nave. O início conturbado e confuso infelizmente deixa o filme bagunçado.

  • Predator

    Predator

    Um clássico. Um filme do fim dos anos 80 que diz perfeitamente o que foi a época, seja na ação brucutu, na trilha sonora, e na construção de seus personagens, que toma boa parte do tempo. A ação é massa!

  • Além da Lenda

    Além da Lenda

    ★★★

    É uma animação bem simpática, mas funciona melhor pra quem já viu o desenho e conhece os personagens.

  • Motivational Speaker

    Motivational Speaker

    ★★★½

    O roteiro do próprio Porchat em parceria com Cláudia Jouvin é uma metralhadora de piadas, que dá pouco tempo para o espetador respirar. Felizmente a maioria delas é engraçada, apesar de boa parte apelar para o absurdo, mas, deixa eu te contar um segredo: é possível achar uma piada ofensiva engraçada, uma coisa não anula a outra.

    Texto completo: aodisseia.com/o-palestrante-critica/

  • Bullet Train

    Bullet Train

    ★★★★

    A começar pela estética, Trem-Bala desde o início já mostra a que veio. A tela é preenchida de cores vibrantes e fortes, retratando um Japão futurista, algo refletido até nas legendas do filme. A personalidade do visual se transpõe para os personagens, cada um tendo uma função específica (e até unidimensional), mas que cumpre bem o propósito de formar um todo.

    Texto completo: aodisseia.com/trem-bala-critica/

  • The Black Phone

    The Black Phone

    ★★★★½

    Scott Derrickson é um diretor que sempre soube trabalhar com a violência. Em O Exorcismo de Emily Rose, o diretor trabalhou com a violência midiática, em A Entidade, com a perseguição do próprio mal e da curiosidade, em Livrai-nos do Mal, com a violência religiosa e punição, e até em Doutor Estranho ele lida com a violência das escolhas e do destino, mas de forma mais branda.

    Texto completo: aodisseia.com/o-telefone-preto-critica/

  • Dissonantes

    Dissonantes

    ★★★★

    Esqueci de escrever sobre aqui e esse é o primeiro texto do filme nesse site, desculpa te decepcionar letterboxd.

    Texto completo aqui: aodisseia.com/dissonantes-critica-filme/

  • Sky Poets

    Sky Poets

    ★★

    Os caras fizeram um documentário sobre fogos de artifício mané. É muita gente desocup...

  • Love in Sampa

    Love in Sampa

    Meritocracia: O Filme.