The Hunger Games: Mockingjay - Part 1 ★★★★½

Katniss (Jennifer Lawrence) foi resgatada pelo traidor da capital Plutarch Heavensbee (Philip Seymour Hoffman) e levada para o misterioso Distrito 13, onde se reencontra com Gale (Liam Hemsworth), sua irmã e mãe, e conhece a Presidente Coin (Julianne Moore). A garota tem o dever de fazer propaganda para incitar a revolução em troca e um dia tentar salvar Peeta (Josh Hutcherson), que ficou na capital, nas mãos do Presidente Snow (Donald Sutherland).

A Esperança é o livro mais forte da trilogia de Suzanne Collins, transformando a temática da arena de batalha mortal em um filme de guerra doloroso e adulto. É verdade que a trama lida com a morte desde o primeiro longa, mas aqui é a sobrevivência de todo um povo que está em jogo. E Katniss não quer ser a responsável por reverter essa disputa, mas inevitavelmente o papel cai nas suas mãos.

Lawrence não está tão bem no papel, achei um pouco exagerada no drama. Mas pode ter sido impressão minha. Hemsworth nunca foi bom, então sobra para Hoffman e Moore roubarem a cena, e o fazem muito bem. A Presidente Coin do filme é mais real que a do livro, e pequenas cenas sem Katniss por perto ajudam o espectador a compreender as atitudes duras da personagem.

Visualmente, destaco a direção de arte, especialmente na criação do subterrâneo Distrito 13, que, sóbrio e cinzento, revela inúmeros andares de habitações iguais, salas duras e com carência de calor humano. Aliás, há uma carência de personalidade no local, o que não deixa de ser o contraponto perfeito à profusão de cores da capital. É um indício de antagonismo tão oposto que pode torná-los duas faces da mesma moeda.

Se por um lado A Esperança ganha ao ter mais tempo para desenvolver seus personagens e conduzir a trama sem pressa, não há como evitar que esta primeira parte sofra de graves problemas de ritmo, problemas estes que pertencem à obra original, já que justamente a primeira metade é mais tranquila e a segunda mais intensa. Mas a divisão no cinema gerou um primeiro longa quase sem ação, o que desagradou a muitos. Ainda assim, talvez seja o melhor dos três, por nos apresentar sem concessões à tragédia enfrentada pelo povo de Panem.

Report this review