The Wolf of Wall Street ★★★★

Jordan Belfort (Leonardo DiCaprio) é um jovem entrando no mercado de ações, que aprende como ganhar dinheiro fácil enganando as pessoas, e logo monta sua própria empresa ao lado de Donnie (Jonah Hill) e se torna milionário. No processo, se envolve com drogas e muitas orgias, até que eventualmente chama a atenção do detetive Patrick Denham (Kyle Chandler). Conforme enriquece, Jordan troca sua esposa de antes da riqueza Teresa (Cristin Milioti) por uma caça-níqueis mais jovem e bonita, Naomi (Margot Robbie).

A história verídica de Jordan Belfort é assustadora. Que alguém tenha enriquecido tão magicamente e esbanjado como ele fez, tudo à base de muita cocaína e orgias pesadas, é surreal. O grande Martin Scorsese faz mais um excelente trabalho ao adaptar o livro do próprio Belfort sobre sua vida, a partir de roteiro de Terence Winter.

É um longa repleto de excessos. Cenas pesadas, com drogas lícitas e ilícitas, sexo, nudez, palavrões, enfim, não dá para mostrar às crianças. O diretor faz uso da vida desregrada do corretor para criar uma narrativa com forte senso de humor negro e realmente escrachada, sem medo algum de exibir estes comportamentos excessivos na frente da câmera. Não há nem como fazer uma versão censurada do filme ou sobrará menos da metade.

O elenco é de primeira! Partindo de uma ponta fenomenal do Matthew McConaughey, O Lobo de Wall Street traz ainda a pouco conhecida Margot Kidder à vontade no papel da esposa de Jordan, Kyle Chandler como a voz da razão na produção, o diretor e ator Rob Reiner como o pai do protagonista e participações divertidas de Jean Dujardin e Jon Bernthal. Mas quem surpreende é mesmo Jonah Hill, que faz uso do seu excelente timing cômico e protagoniza algumas das cenas mais divertidas da projeção. Mas é claro que reina absoluto Leonardo DiCaprio. É impressionante a ascensão profissional do ator, que hoje está em patamar de igualdade com os melhores. Acostumado a papéis dramáticos e de mocinho, Leo surpreendeu primeiro fazendo um grande vilão em Django Livre, e agora um personagem cômico. Seus gestos, olhares, sua voz... enfim, é uma composição complexa de uma figura trágica. Uma das grandes atuações da sua carreira.

O Lobo de Wall Street pode não entrar em um Top dos melhores filmes do Scorsese, mas certamente é um bom longa, especialmente na crítica que faz através do humor à vida levada em Wall Street. Aguardemos os próximos projetos do tio Marty.

Report this review

Elvis liked this review