• Dark Glasses

    Dark Glasses

    ★★★½

    É um filme que (e devemos comemorar muito isso nos dias de hoje) carrega aquela típica sensação de se assistir a um filme do Argento, ainda que diluída, ou com um certo ar de imitação tardia - sensação essa um tanto quanto difícil de descrever, mas que esbarra na ingenuidade do encontro de emoções díspares que se dá numa espécie de fluxo estético que ora se caracteriza como onírico, ora como da ordem do pesadelo. Que o filme atinja isso…

  • Scream

    Scream

    ★★★★

    Acho que o que o filme tem de melhor passa longe do aspecto autorreferencial e autoconsciente sobre a tradição e as convenções do horror e diz respeito muito mais ao que o filme (diferente do que era supostamente novo em sua época de lançamento) tem de datado hoje (por mais que o papo de atualidade na arte seja em si também datado), isto é, na apropriação de todo um espaço e de toda uma atmosfera que pertencem a um certo…

  • The Matrix

    The Matrix

    ★★★★

    Liminal Spaces.

  • Dune

    Dune

    ★★½

    No que diz respeito à adaptação (e sim, ao contrário do que o discurso consensual diz, uma adaptação fiel e completa tem seus méritos sob determinados contextos, afinal a ideia de que 'cinema não é literatura' é rasa, porque não existe apenas uma literatura, ainda mais em pleno século XXI), Duna faz um ótimo trabalho. A contextualização é clara e instigante, prepara e movimenta de maneira coesa todos os elementos dramáticos e concebe um universo consistente que desperta curiosidade -…

  • Halloween III: Season of the Witch

    Halloween III: Season of the Witch

    ★★★★

    Existe uma estranha continuidade (ou descontinuidade pelo fato de pertencerem à mesma marca) entre os três primeiros filmes da franquia Halloween que se conjuga talvez na constante ampliação da escala geográfica dos filmes e, principalmente, no que diz respeito à exploração de limites geográficos. O primeiro Halloween trabalha de maneira constante com a ideia de uma fronteira entre o espaço público (a vizinhança) e privado (o interior da casa): são as calçadas, as cercas, as portas de entrada, as janelas…

  • Malignant

    Malignant

    ★★

    Parece mais um episódio de Arquivo X (piorado) ou Supernatural amalucado e inconsequente do que qualquer coisa que o filme pretende 'homenagear' de fato (sinceramente não tem nada de Argento aqui pralém das luvas de couro). O filme acaba tendo esse aspecto demasiadamente funcional em que as referências existem por si só - cumprem uma função, indicam as mudanças de tom e atmosfera, o 'novo espaço' que o filme vai explorar. No fim parece uma planta de plástico de tudo…

  • Brand New Cherry Flavor

    Brand New Cherry Flavor

    ★★

    Acaba sendo mais interessante dentro de uma análise de um certo fenômeno de obras que se passam em Los Angeles e retratam a cidade como uma espécie de 'inferno cultural' do que tudo. A tese da série (e esse é um dos problemas dela, essa formulação discursiva demasiadamente clara, direta, óbvia) é a de que Los Angeles é uma cidade em que reside uma espécie de perversão e corrupção natural na própria lógica das coisas e seus funcionamentos: Boro é…

  • Evangelion: 3.0+1.0 Thrice Upon a Time

    Evangelion: 3.0+1.0 Thrice Upon a Time

    ★★★★½

    boa noite. bom dia. obrigado. adeus.

  • Heat

    Heat

    ★★★★★

    Reassisti pela primeira vez a esse filme e vou deixar uns pensamentos que tive durante a experiência:

    - É interessante a gradação da mudança dos espaços domésticos para os espaços públicos do filme. Começamos com o estabelecimento de cada personagem em suas vidas íntimas, espaços privados, pra depois sermos jogados nos mais diversos lugares urbanos, que faz culminar a narrativa na cena final que se encontra basicamente num não-lugar, um espaço marcado essencialmente pelo vazio, pelo não-movimento de pessoas: da…

  • The Girl Who Knew Too Much

    The Girl Who Knew Too Much

    ★★★★

    Logo no início do filme, o médico amigo da protagonista diz que Roma não é um lugar de pesadelos e que, se é alguma coisa, é um sonho. Diz isso porque, na noite anterior, Nora Davis observou um assassinato num espaço que, pelas configurações do giallo, é puramente estético: se vê uma vítima, uma faca, um possível assassino com o rosto borrado de preto numa estilização da iluminação, a observadora desmaia, a câmera se evidencia ao se deslocar para uma…

  • Gremlins 2: The New Batch

    Gremlins 2: The New Batch

    ★★★★

    Acho interessante que já na cena inicial se estabelece a diferença deste filme em relação ao antecessor na dimensão do conflito entre o capitalista e o sábio chinês que é o proprietário do Gizmo. No primeiro Gremlins é o pai de Billy, um capitalista do tipo ideal provinciano de um inventor e pai de família que se sacrifica "pelo capital", que encontra Mr. Wing; no segundo Gremlins é o dono de uma grande corporação que, através de uma televisão, se…

  • It's a Wonderful Life

    It's a Wonderful Life

    ★★★★★

    Vou me permitir abrir mão da análise séria do filme nesse momento só pra dizer que é uma das coisas mais lindas do mundo toda a sequência do anjo ser, acima de tudo, um presente do cinema para George Bailey. Toda a fantasia, do início ao fim da sequência que mostra como seria o mundo se ele não tivesse nascido, está contida na força e na potência do corte que transforma a realidade da vida, não na realidade onírica ou…