Favorite films

  • The Searchers
  • Black God, White Devil
  • Contempt
  • The Eyes, the Mouth

Recent activity

All
  • The Bowery

    ★★★★

  • The Long, Long Trailer

    ★★★

  • Me and My Gal

    ★★★★★

  • The Naked and the Dead

    ★★★★

Recent reviews

More
  • Me and My Gal

    Me and My Gal

    ★★★★★

    Exemplo notável de como lançar um olhar sobre a pobreza e a depressão econômica. Um pouco como o Boudu salvo das águas ou Man's Castle, ainda que sem um protagonista tão marcante como nesses dois, mas uma variedade de figuras humanas interessantes de acompanhar, e sendo uma comédia maravilhosa, porém o pano de fundo não nos fazendo esquecer do drama todo daquele contexto. Engraçadíssimo o bêbado que passeia nos locais aos arredores do píer arrumando discussões com uma vara de…

  • Blackbeard, the Pirate

    Blackbeard, the Pirate

    ★★★★

    Há filmes melhores de piratas, mas nenhum com maior autenticidade. Sem cavalheirismos ou refinamentos por parte do personagem-título, as mulheres da nobreza prisioneiras do navio são verdadeiramente vilipendiadas, com escracho sem que o filme se torne uma comédia, especialmente em relação a velhinha ingênua achincalhada (Blackbeard nos seus modos faz pensar em um Rod Steiger de Giù la testa em alto mar).

    Fantástica a unidade de lugar e de espaço no barco ou na ilha em que ocorre o desembarque…

Popular reviews

More
  • Sem Essa, Aranha

    Sem Essa, Aranha

    ★★★★★

    ALEX VIANY - Para seu terceiro filme, que está escrevendo agora, você foi buscar inspiração em Ulisses, de James Joyce?

    ROGÉRIO SGANZERLA - O Ulisses brasileiro, em meu roteiro, é um picareta, um aventureiro, um inescrupuloso que quer subir na vida de qualquer maneira. Farei o filme com som direto, utilizando os melhores atores que puder encontrar. Terá oito planos, de dez minutos cada um; estes planos, absolutamente independentes uns dos outros, levarâo às últimas consequências certas ideias, através da…

  • Bacurau

    Bacurau

    ★½

    Há uns sessenta anos um filme francês em língua portuguesa era premiado em Cannes (e depois no Oscar), o Orfeu Negro, realizado por diretor gringo para exportação, e explorando um forte exotismo e miséria brasileiras (mais as belas canções de Vinicius de Moraes e uma fotogenia em excesso do Rio de Janeiro como um cartão postal). Um filme que compreensivelmente nunca caiu muito no agrado de críticos e cinéfilos brasileiros (Carlos Diegues, que o odiava, faria anos depois a sua…