RSS feed for Wallace

Favorite films

Don’t forget to select your favorite films!

Recent activity

All

Recent reviews

More
  • Leave No Trace

    Leave No Trace

    ★★★

    Capitão Fantástico sem a vibe hipster fofo. A vida de pai e filha em meio à natureza se dá por razões psicossociais (o trauma da guerra, o abandono dos veteranos e de muitos outros americanos numa situação de pobreza), e não pela vontade de cultuar Chomsky e parar de beber Coca-Cola. Apesar desse ponto positivo, me parece que Granik não tem muito para onde levar a história. Daí apela para uma dose (relativamente moderada, é verdade) de sentimentalismo no epílogo.

  • The Hate U Give

    The Hate U Give

    ★★½

    Um Faça a Coisa Certa para jovens. Tem momentos bastante fortes (a cena inicial, a reação de Starr ao gás lacrimogêneo da polícia no epílogo, o confronto com a colega de escola), mas, em geral, o filme caminha para a apresentação de uma solução para as questões que discute, algo que Spike Lee não faz. Nesse sentido, o final apaziguador e que fecha todas as frentes dramáticas (mesmo aquelas que não precisavam ser fechadas, como a relação entre o pai e o tio da protagonista), logo após conduzir Starr para um estado de rebeldia, é bastante irritante.

Popular reviews

More
  • Don’t Talk To Me About New Beginnings

    Don’t Talk To Me About New Beginnings

    ★★★★

    Imagens em fluxo. Fragmentos. Num primeiro nível, Não Me Fale Sobre Recomeços, de Arthur Tuoto, parece tratar do bombardeio de imagens que regula a existência no mundo contemporâneo. Cinema, televisão, registros com câmeras de celular, YouTube, videogames. Mas o filme também fala de memória, de seu papel na constituição da identidade humana. E memória, ao menos em seu estado bruto, é fragmento.

    Muitos filmes vêm trabalhando com imagens pré-existentes, mas geralmente apostando em uma reorganização clara delas, mesmo que para…

  • Loving You

    Loving You

    ★★★★

    Em Três (2016), seu filme mais recente, Johnnie To prepara cuidadosamente um cenário (um hospital) com peças (policiais, bandidos, pacientes, médicos e enfermeiros) que se movem rumo a uma sequência de ação anunciada e esperada: o épico tiroteio filmado como um balé em câmera lenta, no qual To esbanja seu gigantesco domínio de mise-en-scène. Toda a narrativa de Três conflui para esse momento. Trata-se, para além desse caso, de um diretor conhecido pelo esmero com que registra os movimentos de…