RSS feed for Yuri

Favorite films

Recent activity

All

Recent reviews

More
  • Howards End

    Howards End

    ★★★½

    Howards End é a alegoria de uma Inglaterra entregue aos aristocratas (Wilcox) que tentam, a todo custo, preservá-la do avanço liberal (Schlegel) e da classe baixa (Bast), algo que o roteiro de Jhabvala delimita com muita clareza e objetividade. E, sabe-se lá o motivo, o filme não se preocupa tanto com Howards End em si, nem como uma ideia extracampo, o que, de certa maneira, poderia desprendê-lo da necessidade em ater-se ao texto de Jhabvala / Forster. Ao mesmo tempo,…

  • Lady in the Water

    Lady in the Water

    ★★★★½

    É preciso salvar a história (Story) e é preciso acabar com a crítica presunçosa (Farber). Mais do que tudo, um filme de braços abertos para a normalidade que aceita a fantasia e, assim, percebe o poder da fé e da crença.

Popular reviews

More
  • The Ornithologist

    The Ornithologist

    ★★★½

    É um filme que abraça as diversas possibilidades narrativas que apresenta: começa como um documentário do Discovery, torna-se um suspense / horror e, ao fim, aceita-se como uma fábula ecológica e religiosa.
    João Pedro Rodrigues tenta conciliar aspectos aparentemente díspares entre si (religião, natureza e misticismo) sob um ponto de vista racional e erotizado, de forma que o seu filme brinca com as dicotomias tradicionais, como o sagrado e o profano, por exemplo. Mas é a encenação em um local que traduz a ideia de imutabilidade que traz ao filme, no fim, o elemento mitológico que tanto precisa.

  • Allied

    Allied

    ★★★½

    Um jogo de falsidade filmado em ambientes recriados digitalmente. Não há dúvida que Robert Zemeckis é um artesão de filmes de grande escala sobre as mais privadas intimidades, sendo Aliados aquele que condensa de forma mais significativa essa característica do diretor, pois são nos momentos passageiros, como o sexo em uma tempestade de areia ou o parto em meio a um bombardeio aéreo, que Zemeckis melhor sabe ser dramático. O mistério central, em si, pode ser direto e simples demais, mas é a visão contextual do diretor que faz toda a diferença.